Arquivo | Crónicas

Os artigos deste assunto também estão disponíveis através de feed RSS.

Via Sacra Jovem 2014

A Via-Sacra do SDPJ no Seixal foi um momento único. Havia uma força maior presente naquela noite e isso era visível no rosto de cada um de nós. As leituras e as reflexões foram muito especiais.

No silêncio da noite, escutava aquelas palavras e o meu coração ficava cheio. Mas o que me marcou profundamente foram as dinâmicas entre cada estação. Uma simples frase num pedaço de papel, um lenço com uma missão, um abraço em cadeia entre todos nós, uma vela acesa para cada um dos participantes, um simples prego com tanto significado…

E cada prego que era colocado na cruz, fazia o meu coração tremer.

Foram estes pequenos gestos que fizeram toda a diferença. É por estas actividades, e pelo amor que tenho em Cristo, que continuo a seguir o caminho que Ele nos ensinou.

Apenas tenho de dar graças pelo bom momento que nos foi proporcionado.

Pedro Nobre

Jovens A Caminho (Cova da Piedade)

Noite XL: de coração renovado ♡

Já o sol acordava quando me despedi, na praia junto ao Forte de S. Julião da Barra, desta Noite XL: foi uma noite muito especial que me ensinou, desafiou e me aproximou muito mais d’Ele.
A aventura, que começou no Largo do Carmo, em Lisboa, com cerca de 800 jovens, levou-nos até a uma Eucaristia única na Igreja de S. Roque e seguiu até Santo Amaro de Oeiras. Fomos convidados, na chegada à praia, a uma caminhada em silêncio, oração e de reflexão… Apenas com a luz das velas que levávamos na mão… Até chegarmos ao Forte. Foi um momento intenso e que me fez esquecer as horas e o cansaço…
Fomos recebidos, na escuridão da noite, por um espectáculo de música e luz lindíssimo, que me recordou a beleza e a simplicidade do Amor de Cristo quando julgamos estar sozinhos.
Já no interior do Forte conhecemos o que, há muitos anos atrás, muitos padres jesuítas sentiram na pele: a prisão, as privações e, até mesmo, a morte. Apesar de ter ficado com o coração apertado, foram esses mesmos testemunhos que me trouxeram força e ânimo, pelo seu exemplo de fé e pela sua entrega a Deus e aos outros.
Quando me questionar se serei capaz de ir mais além, de dar mais de mim e de sofrer mais um pouco, irei sempre lembrar-me do que vivi nesta noite.

A história repete-se

A história repete-se. 200 anos depois da restauração dos Jesuítas pelo Papa Pio VII fruto de uma de muitas perseguições de uma Ordem que pela sua sobriedade, calma, inteligência e fé cultivou no mundo os dons do ES: Sabedoria, Entendimento, Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade, Temor de Deus. O que fica da noite XL: A importância de fazer memória; a importância de tentar ver mais além do hoje; a importância do legado e do abandonar-nos no mais essencial cultivando o respeito e a paz.

Para os meus camaradas Ricardo e Fabio pela 2ª noite XL, e pelos “rookies”David, Daniel e Marta, obrigado!

“Porque toda a vida vem de Ti, em tua Luz, vejo a Luz
Porque toda a vida vem de Ti, e a Tua Luz, faz-me ver a Luz.”

É por dentro que as coisas são

Há uns meses estava a preparar uma atividade para adolescentes quando tropecei numa frase de um poeta chamado Raul Brandão que dizia “é por dentro que as coisas são”. É uma frase de uma profundidade incrível, mas na altura acabei por optar por trabalhar uma outra frase qualquer e nunca mais pensei no assunto. Até este domingo.

Passei este dia de domingo em retiro, na casa de Palmela das Escravas. A proposta era passar um dia em silêncio, com pistas de meditação para “arrumar as ideias” e tempo de oração pessoal. Fórmula simples e eficaz. Casa cheia.

As pistas eram naturalmente centradas num tema quaresmal: “fazer-me pobre” para “enriquecer os outros com a minha pobreza”. Vários momentos, várias pistas e várias dicotomias (por exemplo, Marta vs Maria, Fariseu vs Publicano e os Ricos vs Viúva) para nos ajudar a compreender as nossas escolhas e a apontar o caminho.

No meio de tantas pistas e ideias, uma delas chamou-me à atenção: “optar pelo essencial”. S. Inácio dizia que é preciso ter atenção à “vida não concentrada no essencial” porque é “preciso saborear as coisas por dentro”!

Saborear as coisas por dentro… sinto que de alguma forma esta ideia foi amadurecendo em mim porque a associei logo com a tal frase do poeta “é por dentro que as coisas são”.

Quantas vezes sinto que ficamos no superficial e não nos preocupamos em descobrir o profundo que há nos outros. Gastamos tanto tempo e energia a criar juízos de valor com base naquilo que é exterior. Não aprofundamos, não descobrimos a raiz, a causa, o centro dos problemas. Ficamos pela rama e julgamos “por fora” sem nos colocarmos nos “pés” dos outros e sem “sofrer o que eles sofrem”. Para chegar ao verdadeiro e para os podermos compreender, há que que descobrir o que “está lá dentro”.

Não podemos apenas atuar por fora. É fundamental começar por dentro.

É por fora que as coisas se mostram, mas de fato, é “por dentro que as coisas são”!

Um pensamento… em dia de São José

Hoje é dia de São José, esposo da Virgem Santa Maria. Não é O Pai de Jesus, mas é o pai de Jesus. E por isso, hoje, muito além daquilo que são as jogadas comerciais para o ‘dia do pai’, é um dia para, no meio da correria do meu tempo, me lembrar e rezar, de forma especial, pelo meu pai.

Não há um único dia em que não o tenha presente e lhe vá pedindo ajuda, mas nestes dias específicos em que se faz memória, custa-me um pouco mais. Tenho muitas saudades dele… tantas… que quando me detenho a pensar mais um bocadinho, aperta-se-me o coração e quase parece faltar-me o ar… Trago comigo a paz e a serenidade porque confio que Nosso Senhor o recebeu, mas a saudade parte-me em pedacinhos.

Sinto falta do sorriso dele…
Sinto falta da sua boa disposição…
Da paciência com que nos aturava lá em casa…
Da falta de vontade para ir às compras…
Do seu olhar consolador que tantas vezes atravessava o meu, mesmo sem dizer uma única palavra…
Da força com que lutava…
Da alegria com que vivia…
Da forma como nunca se resignou perante a doença…
Do descanso que dava à minha mãe…
Do amor com que nos mimava a todos, mesmo que timidamente…
Do chegar tarde do trabalho…
Do futebol…
Enfim… Sinto falta de tudo…
Do que era bom e menos bom…
E já lá vão quase 10 anos…

Sempre fui uma pessoa difícil nas relações com os outros e na docilidade de coração e nunca fui, com o meu pai, aquilo que devia ter sido. Vou tentando ser melhor com aqueles que me restam, apesar de nem sempre conseguir e as minhas fragilidades virem à tona.

Não sei se têm possibilidade de dar um abraço e um beijo ao vosso pai… mas, os que tiverem, façam-no. Hoje… e todos os dias!

Aos que já vivem o dom da paternidade: Que sejam como José, que no silêncio, acolhe e contempla… que na alegria, educa e protege.

Aos que são pais ‘espirituais’: Que sejam como José, que tem um amor tão grande ao Senhor e é capaz de tudo… com uma vida interior tal que se traduz em todas as suas acções.

Um abraço.

Papa Francisco – 1 Ano!

“Não vos contenteis com uma vida cristã medíocre, caminhai decididamente para a santidade.”

Papa Francisco

Faz hoje um ano que conhecemos o novo Pastor da nossa Igreja.

Sorridente e divertido, mas muito assertivo e sempre com os olhos em Cristo, é assim que vejo o nosso Papa.

Diz-nos S. Mateus (12, 34) que «a boca fala do que o coração está cheio».

De que estará cheio o coração do nosso Papa? Para mim, está cheio de amor, caridade e misericórdia.

Com ele, sinto-me impelida a sorrir mais no meu trabalho, sinto-me confiante perante as dificuldades que se atravessam no caminho e sinto-me chamada a viver o despojamento numa nova dimensão.

No primeiro aniversário da eleição do Papa Francisco somos convidados, uma vez mais, a rezar com ele e por ele, que se encontra por estes dias em retiro com a Cúria Romana.

A seu pedido rezemos pelo Sínodo da Família, que em breve será realizado, já que esta representa para nós Cristãos a base da nossa vida e da nossa sociedade.

O Papa Francisco tem sido fonte de inspiração para os jovens, na sua alegria, no seu testemunho e na sua confiança no Senhor!

Deixemo-nos levar por este amor que cativa e acolhe e saudemos o Santo Padre!