Arquivo | Mensagens

Os artigos deste assunto também estão disponíveis através de feed RSS.
Georges Rouault, Jesus reviled, 1922-1927

Mensagem do Director – Quaresma 2014

Padre João Dias, Director da Pastoral da Juventude de Setúbal

Hoje celebramos a quarta-feira de cinzas, celebração litúrgica que nos introduz ao tempo da Quaresma. As cinzas são sinal, que já na cultura judaica, simbolizam a penitência. É assim um tempo onde somos chamados a intensificar o exercício da oração, do jejum e da esmola.

Não que Deus se compraza no nosso sofrimento, mas é caminho que nos conduz à liberdade, à conversão, à vida…, em suma, ao projecto que Deus tem para cada um de nós. Pela cinzas que nos são impostas, um elemento da natureza, que na liturgia se torna um símbolo sagrado, é sinal que nos leva a olhar para o relato da criação e ver que Deus formou o homem do pó da terra e que o insuflou com o sopro divino (cf. Gn 7, 4). Recordando a nossa condição humana, a nossa fragilidade; mas também recorda que a vida que nos habita é nos concedida por Deus, dando ao homem meios de alcançar a salvação que nos fez chegar pelo Seu Verbo encarnado.

O Secretariado da Pastoral da Juventude, por meio de um itinerário pretende ajudar-te a fazer caminho neste tempo. Na verdade quer falar-te de «5 passos para um caminho da reconciliação»: (Exame de Consciência, arrependimento, propósito de emenda, confissão dos pecados e penitência), onde o sacramento da confissão é meditado e iluminado pelas passagens do Evangelho de cada domingo da Quaresma.

Escutando o nosso Bispo, D. Gilberto, na sua mensagem Quaresma deste ano, quando nos diz não passemos pela «Quaresma como quem dorme» , não nos conformemos no nosso comodismo, nem nos deixemos ficar presos na nossa indiferença. Que procurando o silêncio, longe dos ruídos do mundo que nos entorpecem, possamos escutar a voz do Senhor que nos quer falar, e deixarmo-nos transformar no seu Amor. Procuremos neste tempo de Quaresma libertar-nos do que é acessório, para que focados no essencial possamos estar disponíveis para o que realmente dá sentido à nossa vida – Cristo.

Pe. João Luís Nabais Dias

Mensagem do D.Gilberto, Bispo de Setúbal na Quaresma de 2014

Jesus fez-se pobre para nos enriquecer com a sua pobreza

D Gilberto, Bispo de Setúbal

D Gilberto, Bispo de Setúbal

 

Caros diocesanos,

Anuncio-vos que a Igreja vai iniciar na quarta-feira de cinzas, dia 5, a caminhada quaresmal para o encontro festivo com Jesus Ressuscitado na Sua Páscoa. Quem de nós não precisa de encontrar Cristo Glorioso e de fazer a experiência de viver a vida a partir do encontro re+criador com o Senhor que venceu a morte e nos capacita para vencer o pecado, o vazio interior e a solidão?

Venho convidar-vos a percorrer com verdade e com alegria este caminho para Cristo que é a exercitação quaresmal, na comunhão e no espírito da Igreja.

Para isso indico-vos algumas pistas.

Lede a mensagem do Santo Padre para esta Quaresma. Assimilai-a, deixai-vos interpelar por ela e divulgai-a. Tem um titulo sugestivo (Jesus) fez-se pobre para nos enriquecer com a sua pobreza”. E o comentário, ao jeito do Papa Francisco a este versículo da Bíblia, é muito belo.

A partir desta mensagem, aceitai comigo o desafio de com Jesus nos fazermos pobres para enriquecer os outros com a nossa pobreza como Ele fez.

Para nos ‘para nos fazermos pobres e enriquecermos os outros com nossa pobreza’ realizai – e ajudai as nossas crianças e os nossos doentes a realizar – os três grandes exercícios de santidade que a Igreja oferece: a oração, o jejum e a esmola. São exercícios inseparáveis entre si. Não se realiza bem um deles, menosprezando os outros. Na verdade, não reza bem aquele que reza muito mas que não é conduzido pela oração ao jejum do seu ‘eu egoísta’ para escutar o que Deus lhe pede. Também não reza bem aquele que não se esforça por partilhar de verdade os seus bens – e o bem principal é a vida – para que os outros sejam felizes… Também não conseguirá jejuar do ‘ egoísmo’ nem dar os seus bens e a vida pelos pobres, para os integrar plenamente na comunidade o fiel que não se coloca, diante de Deus, no silêncio orante.

Vencei a tentação de dizer ‘eu não preciso de conversão’. Evitai a tentação daquele que, embora dizendo ‘sou muito pecador’, não reconhece em concreto este e aquele pecado nem se esforça com sinceridade por mudar de vida nem emprega os meios recomendados pela Igreja para isso, nomeadamente a confissão. Não digais ‘não tenho tempo’. Fazê-lo, seria de algum modo afirmar que na vossa escala de valores Jesus não está em primeiro lugar.

Não passeis pela Quaresma como quem dorme. Fazei tudo para que a Quaresma passe por vós, entre na vossa vida e vos una a Jesus, fonte da alegria que dá encanto à vida. Ninguém se torna esbelto se fica a olhar os que fazem ginástica sem fazer, ele mesmo, os exercícios. Ninguém se torna parecido com Cristo ‘pobre para nos enriquecer’ se não realiza os exercícios da oração, do jejum e da esmola com a profundidade que eles têm e aceitando o esforço que os acompanha.

Quem está desperto ponha-se a caminho e não avance sem despertar os outros para a nova oportunidade de nos tornarmos discípulos de Jesus com um coração sábio, recto e perfeito como o d’Ele e para a nova oportunidade de fazer a experiência de Jesus Ressuscitado. Lembra i-vos de que com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria’ para nós, para a igreja e para a sociedade.

Rezai por mim, rezai uns pelos outros, rezo por vós e a sobre todos imploro a bênção de Deus, nosso Pai.

Setúbal, 25 de Fevereiro 2014

+ Gilberto, Bispo de Setúbal

 

P.  S.  O  Contributo  Penitencial  de  2013  permitiu  os  seguintes  apoios,  como  tinha  sido comunicado:  Fundo  de  emergência  Diocesano  20.040,00;  Centro  para  Idosos  em  S.  Tomé  e Príncipe: 4.294,00; Refugiados católicos na Síria: 4.294,00. Deus abençoe a nossa generosidade.

O Contributo Penitencial deste ano é para apoiar a vítimas do tufão acontecido, há meses, nas Filipinas e um terço é para ajudar a construir a igreja do Faralhão, em Setúbal. É um meio de nos ‘fazermos pobres para enriquecer os outros com nossa pobreza’. Coragem.

Equipa da Pastoral da Juventude de Setúbal no Conselho Nacional da Pastoral Juvenil

Conselho Nacional da Pastoral Juvenil – Testemunho Ana Baptista

Foi num ambiente de comunhão, partilha e aprofundamento de questões centradas nos jovens que a Pastoral da Juventude de Setúbal se fez presente este fim de semana, no Conselho Nacional da Pastoral Juvenil. 

Sendo esta uma nova experiência na minha vida cristã, vivi com entusiasmo esta aproximação a outras dioceses, uma aproximação a novas realidades e a novos caminhos, rumo à mudança. É neste contexto de grande diversidade que podemos ‘alimentar’ e crescer na fé, criando condições para que nós, com a audácia jovem que tanto nos caracteriza, possa transformar-nos em “protagonistas da mudança”.”

Ana Baptista, 12 Janeiro 2014

O Conselho Nacional da Pastoral Juvenil é um fórum privilegiado de debate, estudo, atualização dos anseios dos jovens, dos seus ambientes e das propostas pastorais mais adequadas para promover a comunhão de diversidades, o aprofundamento de conteúdos e ações concretas relativos aos jovens. Decorreu a 10 e 11 de Janeiro, em Fátima.