Arquivo | Mensagens

Os artigos deste assunto também estão disponíveis através de feed RSS.

Mensagem do Diretor, Pe. João Nabais Dias

Diácono João Dias, Director da Pastoral da Juventude de Setúbal

Diácono João Dias, Director da Pastoral da Juventude de Setúbal

Depois das Jornadas Mundiais da Juventude no Rio de Janeiro, muitos são os ecos que permanecem deixados pelo Papa Francisco aos jovens.

«Ide, sem medo, para servir» é o lema escolhido pelo Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil de Setúbal e que será orientador da nossa ação pastoral. O Santo Padre diz-nos: «seguindo este lema, vocês experimentarão que quem evangeliza é evangelizado, quem transmite a alegria da fé, recebe mais alegria».

Ide: Recorda-nos que somos enviados, como que um mandamento de amor, do amor de Deus que nos enviou o seu próprio Filho, do amor de Cristo que aceitou ser enviado para que, por Ele, nos tornássemos filhos de Deus. Foram pessoas concretas que nos convidaram a assumir esta missão mas é Deus quem nos convida e nos envia.

Sem medo: Neste caminho, teremos que ter consciência que a missão não é nossa, que o sucesso não depende das nossas capacidades, mas que somos sustentados por Aquele que nos envia. Somos chamados a pôr os nossos talentos a render e a entregarmo-nos, sempre com a certeza de que quando trabalhamos por Deus, com Deus e em Deus, Ele se encarrega de nos dar o necessário para a nossa jornada.

A Sagrada Escritura está cheia desses testemunhos, desde Moisés a Jeremias, em que Deus os liberta das suas limitações providenciando o necessário para a missão que lhes confiou. O mesmo se passa quando Jesus confia a Pedro o governo e orientação das suas ovelhas na tríplice interrogação: «Pedro tu amas-me?».

Para servir: Esta é a postura com que queremos encarar esta missão. A postura de quem não pretende alcançar nenhum beneficio próprio mas procura apenas «dar-se sem medida, sem procurar outra coisa que não seja fazer a vontade Santa do Senhor«.

Tenho consciência que não será uma tarefa fácil mas também creio que o Senhor nos dará o que necessitamos para a missão que nos confiou: o de sermos servos na Sua vinha.

Por tudo isto, desejo que o Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil de Setúbal seja um secretariado estruturado, próximo dos jovens, que proporcione momentos de união que levem os jovens a um caminho de encontro com Cristo e com a Igreja no mundo.

Desejo um secretariado de evangelização e conversão pois caber-lhe-á impulsionar a Pastoral da Juventude da nossa diocese procurando ter em atenção as preocupações e dificuldades dos grupos e movimentos, a formação dos animadores e responsáveis de grupos, tendo como principais objetivos o anúncio e a formação.

Deverá também proporcionar uma caminhada que leve os jovens cristãos a uma fé adulta e esclarecida, procurando que sejam, não as nossas comunidades do amanhã, mas desde já comunidade ativa e participativa, contribuindo com a alegria e o sentido de aventura próprios do jovem que procura viver Cristo na sua vida.

Havemos de ter, assim, a preocupação de atrair os jovens, procurando consciencializá-los e responsabilizá-los, animando a fé àqueles a quem a fé se desvaneceu e interpelando aqueles que ainda não a encontraram.

Pe. João Nabais Dias

Mensagem do Papa Bento XVI

Mensagem do Papa Bento XVI para as XXII Jornadas Mundiais da Juventude 

“Que vos ameis uns aos outros
assim como Eu vos amei” (Jo 13, 34)

Queridos jovens!

Por ocasião da XXII Jornada Mundial da Juventude, que será celebrada nas Dioceses no próximo Domingo de Ramos, gostaria de propor à vossa meditação as palavras de Jesus: “que vos ameis uns aos outros assim como Eu vos amei” (Jo 13, 34).
Continuar a ler →

Nota Pastoral do Sr. Bispo D. Gilberto

Caros Diocesanos

1. “A Igreja afirmou, desde o primeiro século, a malícia moral de todo o aborto provocado. E esta doutrina não mudou. Continua invariável. O aborto directo, isto é, querido como fim ou como meio, é gravemente contrário à lei moral.” Assim diz o Catecismo da Igreja Católica, nº. 2271.

Esta doutrina obriga em consciência todos os católicos que, por isso, em todas as circunstâncias, hão-de defender o ser humano nas várias fases do seu crescimento, desde a hora da concepção até ao seu termo natural.

Continuar a ler →