Arquivo | Notícias

Os artigos deste assunto também estão disponíveis através de feed RSS.

Peregrinação ao Cabo Espichel 2008

Cartaz da Peregrinação ao Cabo Espichel

No Sábado, logo pela manhã, a concentração de jovens teve lugar na Igreja de S. Lourenço, em Azeitão. A peregrinação começou com a Santa Missa, presidida pelo Pe. Luís Ferreira, Director do SDPJ, que nos falou da condição de cristãos, como peregrinos e testemunhas de Jesus, apresentando o exemplo de S. Lourenço, padroeiro daquela paróquia.

Depois foi tempo para os 67 jovens que iniciaram a peregrinação se apresentarem, seguindo-se um pequeno jogo de integração. Logo após o início da caminhada, entrámos pela Serra da Arrábida, onde o silêncio nos centrou  mais em Deus.

Após o almoço, continuámos a caminhada recitando o terço até ao Mosteiro das Monjas de Belém. Aí, fomos acolhidos com um apetecido sumo. Numa capela improvisada no meio da natureza, foi tempo de receber os apelos de Deus pelo testemunho de um jovem médico, Pedro Pacheco, da Sara Ideias que trabalha na recuperação de toxicodependentes e de algumas monjas com as quais se dialogou. Já com o grupo reforçado com a chegada dos seminaristas, rezámos as Vésperas e partimos em silêncio rumo à Paróquia do Castelo de Sesimbra.

A noite foi de oração, com exposição do Santíssimo Sacramento e com confissões. No Domingo, vários grupos de jovens chegaram pela manhã e partimos cerca de 120 jovens para a etapa final.

Antes do almoço, foi tempo de catequese sobre a missão e ,após o almoço, guiados por Nossa Senhora e ao Seu encontro, continuámos rezando o terço.

A peregrinação terminou com a Santa Missa no Santuário do Cabo Espichel, presidida pelo Bispo de Setúbal, D. Gilberto Reis, e concelebrada por nove sacerdotes, com a presença dos seminaristas da diocese e de muitas pessoas das diversas comunidades da diocese.

O nosso Bispo apelou para os jovens e os grupos de jovens não serem ilhas, para descobrirem a beleza do caminho na comunhão, bem como apelou para que em todas as paróquias se dê uma atenção ao trabalho com os jovens, na disponibilidade de meios. No fim, reuniu com todos os jovens, ouvindo as suas opiniões, e deu um pequeno testemunho da sua vocação neste domingo que era o Domingo do Bom Pastor, a concluir a semana de oração pelas vocações.

PML

Ser fermento de esperança evangélica na sociedade americana, visando levar a luz e a verdade do Evangelho, para criar um mundo cada vez mais justo e livre, para as gerações futuras”:Bento XVI na homilia da Missa no “Nationals Stadium” de Washington

foto_08.jpg

A homilia da Missa celebrada pelo Papa num estádio de Washington constituiu um apelo à unidade, à conversão e à esperança – dirigido a todos os católicos dos Estados Unidos.
“Em nome do Senhor Jesus peço-vos que ponhais de lado todas as divisões e que actueis com alegria preparando para Ele uma via, na fidelidade à sua palavra e em constante conversão à sua vontade.
Encorajo-vos sobretudo a continuar a ser um fermento de esperança evangélica na sociedade americana, visando levar a luz e a verdade do Evangelho, para criar um mundo cada vez mais justo e livre, para as gerações futuras.”
Partindo das leituras proclamadas nesta celebração eucarística, Bento XVI observou que estas sublinham “o elo indissolúvel entre o Senhor ressuscitado, o dom do Espírito para o perdão dos pecados e o mistério da Igreja”. “Cristo constituiu a sua Igreja sobre o fundamento dos Apóstolos, como comunidade visível, estruturada, que é ao mesmo tempo comunhão espiritual, corpo místico animado por múltiplos dons do Espírito e sacramento de salvação para toda a humanidade”.
“Em todos os tempos e lugares a Igreja está chamada a crescer na unidade através de uma constante conversão a Cristo, cuja obra redentora é proclamada pelos Sucessores dos Apóstolos e celebrada nos sacramentos.
Esta unidade comporta uma contínua expansão, porque o Espírito leva os crentes a proclamar as grandes obras de Deus e a convidar todas as gentes a entrarem na comunidade dos que se salvam mediante o sangue de Cristo, tendo recebido a vida nova no seu Espírito.”
Recordando que esta sua deslocação aos Estados Unidos prende-se com a celebração dos 200 anos da elevação de Baltimore a arquidiocese, com a instauração das dioceses de Bóston, Louisville, Nova Iorque e Filadélfia, o Papa observou que a presença do sucessor de Pedro é, para todos os católicos americanos, “uma ocasião para reafirmar a sua unidade na fé apostólica – oferecendo aos contemporâneos uma razão convincente da esperança que os inspira – e para se renovarem no zelo missionário ao serviço da expansão do Reino de Deus”.
“O mundo tem necessidade deste testemunho! Quem pode negar que o momento presente constitui uma viragem não só para a Igreja na América, mas também para a sociedade no seu conjunto”.
Vive-se “um tempo cheio de grandes promessas”, com a “família humana” cada vez mais interdependente, mas também não faltam “sinais evidentes de um preocupante desmantelamento nos próprios fundamentos da sociedade” – advertiu o Papa: alienação, violência, enfraquecimento do sentido moral, decadência nas relações sociais, crescente afastamento de Deus. Também no interior da Igreja, ao lado de elementos positivos que suscitam esperança, coexistem dados preocupantes e dolorosos, tais como divisões e polarizações internas, e “a desconcertante descoberta de que tantos baptizados, em vez de agirem no mundo como fermento espiritual, tendem a adoptar atitudes contrárias à verdade do Evangelho”.
Bento XVI deixou “uma especial palavra de gratidão e encorajamento (citamos) a todos os que acolheram o desafio do Concílio Vaticano II, tantas vezes repetida pelo Papa João Paulo II, dedicando a sua vida à nova evangelização”. Palavras, estas, dirigidas aos bispos, padres, diáconos, religiosos e religiosas, mas também aos pais, aos professores, aos catequistas. Há que prosseguir hoje fielmente, no ambiente secularizado e materialista que se respira, a mesma acção evangelizadora:
“A fidelidade e coragem com que a Igreja neste país conseguir enfrentar os desafios de uma cultura cada vez mais secularizada e materialista dependerá em grande parte da vossa fidelidade pessoal em transmitir o tesouro da nossa fé católica.
Os jovens precisam de ser ajudados a discernir o caminho que conduz à verdadeira liberdade: o caminho de uma sincera e generosa imitação de Cristo, o caminho do empenho a favor da justiça e da paz”.
O Papa recordou que os grandes desafios do nosso tempo requerem “uma instrução ampla e sã na verdade da fé”, mas também que se cultive “um modo de pensar, uma cultura intelectual genuinamente católica, confiante na profunda harmonia entre fé e razão, capaz de levar a riqueza da visão da fé às questões urgentes que afectam o futuro da sociedade americana”. Tudo isto com uma grande esperança, bem correspondente à índole e à história do povo e da nação.
A vida da comunidade católica dos Estados Unidos – observou Bento XVI – sempre se caracterizou e continua a caracterizar pela virtude cristã da esperança – “a esperança que (disse) purifica e corrige de modo sobrenatural as nossas aspirações orientando-as para o Senhor e para o seu plano de salvação”.
Foi neste contexto de “esperança nascida do amor e da fidelidade de Deus” que o Papa reconheceu o sofrimento que a Igreja na América tem experimentado em consequência do abuso sexual de menores”.
“Nenhuma palavra minha poderia descrever o sofrimento e o dano provocados por tal abuso. É importante que aqueles que sofreram sejam objecto de uma amorosa atenção pastoral. E não se pode descrever adequadamente o prejuízo verificado no interior da comunidade da Igreja”.
Para além dos “grandes esforços” já empreendidos para “enfrentar de modo justo e honesto esta trágica situação” e para assegurar um ambiente seguro onde as crianças possam crescer, esforços que se devem prosseguir, Bento XVI convida os católicos americanos a não pouparem esforços para “promover a cura e reconciliação e para ajudar todos os que ficaram feridos”. Lembrando que “nosso Senhor ama tão profundamente” as crianças e que estas “são o nosso maior tesouro”, o Papa convidou a uma oração profunda, que suba do íntimo dos nosso corações como os gemidos (sugeridos pelo Espírito) de que fala São Paulo. “É uma oração de inexaurível esperança, mas também de paciente perseverança, tantas vezes acompanhada de um sofrer pela verdade” – precisou o pontífice. Uma oração que aspira, no meio do castigo, à realização das promessas de Deus”.
Evocando a leitura da Missa, em que o Senhor ressuscitado faz aos Apóstolos o dom do Espírito Santo e a autoridade para perdoar os pecados, Bento XVI recordou o permanente renascer da Igreja “mediante o invencível poder da graça de Cristo, confiado a frágeis ministros humanos”:
“a Igreja renasce continuamente e a cada um de nós é dada a esperança de um novo início. Confiemos no poder do Espírito de inspirar a conversão, de curar todas as feridas, de superar todas as divisões e de suscitar nova vida e uma nova liberdade.”
Estes dons tão necessários estão ao alcance de todos particularmente no Sacramento da penitência – lembrou o Papa. É importante que todos os católicos redescubram “a força libertadora” deste sacramento, em que “a sincera confissão dos pecados se encontra com a palavra misericordiosa de perdão e de paz, da parte de Deus. “A renovação da Igreja na América depende em grande parte da renovação da prática da penitência e do crescimento na santidade: ambas inspiradas e concretizadas neste Sacramento”.

Missão em Azeitão e Quinta do Anjo

De 14 a 20 de Março, realizou-se pela primeira vez na nossa diocese uma missão do Movimento Apostólico de Schoenstatt. Na zona de Azeitão e Quinta do Anjo, uma centena de jovens falaram de Deus e de Nossa Senhora a todos com quem se encontraram.

O Padre Diogo Barata, assistente deste movimento, disse ao Notícias de Setúbal que aqueles jovens têm uma idade compreendida entre os 15 e os 18 anos, e que há três anos se faz uma aposta nestas experiências missionárias. O movimento apostólico de Schoenstatt desenvolve também este tipo de projectos com jovens universitários, e para além de semanas passadas numa localidade de Portugal, por vezes parte-se para mais longe, para outros países. «Um movimento mariano que acredita que Maria é uma chave para abrir os corações para Jesus, ajundando muito na missão», referiu o sacerdote, sublinhando que andam sempre acompanhados com imagens de Nossa Senhora de Schoenstatt, o que ajuda a entrar em diálogo e a abrir portas.

Estas missões caracterizam-se pela envangelização porta-a-porta e pelas ruas, através de grupos de dois elementos, e podem incluir (dependendo do que existir na localidade) ida a lares, hospitais e escolas. «Uma missão no nosso país serve para ajudar a revitalizar a nossa Igreja e é também uma forma de cativar outros jovens», disse.

Tomás Monteiro, um dos jovens, salientou que para além de terem desenvolvido actividades com as pessoas que encontraram, mostrando também que movimento se trata, orientaram também uma sessão de teatro no dia 18 no salão do Grupo Musical e Desportivo União e Progresso, em Vendas de Azeitão, e uma Vigília de Oração, no dia 19 na Igreja Paroquial de São Simão,

em Vila Fresca de Azeitão.

«Estou aqui porque nós todos somos instrumentos da vida e fazer parte das missões faz parte de um chamamento que aceitei, dando algo que tenho», referiu Margarida Barreto, outra dos 50 jovens que participaram nesta actividade.

Em todos se destacava o mesmo espírito e a mesma vontade de querer fazer missão, levando a alegria e o amor de Cristo a todos.

Bruno Máximo Leite

Missão em Azeitão

Missão em Azeitão 2008 (14 a 20 de Março)

Nada sem Ti, Nada sem Nós

Missao

Missões…o que é isto?

As missões resultam dum chamamento de Deus e Nossa Senhora que nos convidam a levar a sua palavra a todas as pessoas e a vivermos o seu amor! São também uma forma de preparar o espírito da Páscoa e preparar a Ressurreição de Cristo!

As missões são um projecto desenvolvido pelo Movimento Apostólico de Schoenstatt que leva já 7 anos! São constituídas por jovens e universitários e consistem em passar uma semana num local, este ano na zona de Azeitão e Quinta do Anjo, e andar pela rua a falar com as pessoas e a falar-lhes de Deus e Nossa Senhora! Levando a alegria e o amor de Cristo às pessoas!

Este ano realizam-se de 14 a 20 de Março!

Cada grupo será constituído por 50 jovens com idades compreendidas entre os 15 e os 18 anos, que andarão pelas ruas, vestidos de verde, a ir ao encontro da população!

Continuar a ler →

Calendário SDPJ 2007/2008

Neste ínicio de 2008 vimos relembrar o calendário do SDPJ para este ano Pastoral.

«Recebereis a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas»

5 e 6 Outubro -Peregrinação Nocturna da Batalha a Fátima

20 e 21 Outubro – Formação de Animadores de Jovens (Santuário do Cristo Rei)

10 e 10 Novembro – Formação de Animadores de Jovens (Palmela – Casa de Stª Rafaela)

12 e 13 de Abril - Jornada Diocesana da Juventude (Caminhada de Palmela ao Santuário de Nossa Srª do Cabo Espichel)

3 e 4 Maio – Fátima Jovem (Fátima)

31 Maio – Mostra de Bandas Católicas (Forum Luísa Tody)

28 Jun – Torneio de Futebol (Vendas de Azeitão)

15 a 20 Jul - Jornadas Mundiais da Juventude (Sydney)

25 a 27 Jul - 2º Festival Jota (Paúl – Diocese da Guarda)

Vigília de Oração pelos novos Diáconos

Cartaz das Ordenações

Olá amigos

Continuação de Santo Natal!!!!

     Estamos quase a chegar ao fim do nosso ano 2007

     O início do próximo ano civil será marcado na nossa Diocese de Setúbal pela ordenação de três novos Diáconos: o Rui Gouveia, o Carlos Silva e o Casimiro Henriques (mais informações www.diocese-setubal.pt ). O SDPJ vai organizar a vigília de oração pelos ordinandos no dia 4 de Janeiro às 21h30 na Igreja Catedral de Santa Maria da Graça, em Setúbal. Convidamos todos os jovens da nossa Diocese a associarem-se a este grande momento de oração, assim como, à sua Ordenação no dia 6 de Janeiro pelas 16h00 na mesma Igreja Catedral. Junto envio o cartaz de divulgação.

     Dentro em breve teremos mais informações das actividades do SDPJ. Fica atento.

     Em Cristo, por Maria.

     Pe. Luis

Jornadas Mundiais da Juventude em Sydney

Olá amigos:

Após a Formação de animadores de Grupos de Jovens GPS orientada pelos Salesianos nos meses de Outubro e Novembro, o SDPJ de Setúbal quer avançar com dados concretos acerca da próxima Jornada Mundial da Juventude em Sydney no próximo ano 2008.

As inscrições para a JMJ de Sydney serão realizadas através do nosso Secretariado, mas serão todas encaminhadas para o Departamento Nacional da Pastoral Juvenil que está a organizar tudo para quase todas as Dioceses portuguesas.

Ficha de Inscrição (PDF)

Continuar a ler →