Nota Pastoral: “Jovens: pedras vivas na construção da Igreja”

Neste ano em que toda a Igreja se prepara para celebrar um Sínodo centrado na realidade dos jovens que dela fazem parte, e em que a Igreja em Portugal declara um ano especial consagrado à missão, a nossa Igreja de Setúbal deseja partilhar de ambas as dimensões, dedicando os próximos dois anos à missão dos jovens e entre os jovens, a partir da nossa realidade diocesana.

Esta atenção especial à juventude pretende dar continuidade ao percurso do biénio consagrado à família e à Igreja como família de famílias. De facto, em cada família, os filhos são os que mais atenção e cuidado suscitam, tanto pela sua necessidade de apoio, como pela esperança, preocupação e alegria que geram nos pais, no percurso do próprio crescimento e da capacidade para assumir responsabilidades. Como mãe atenta e carinhosa, a Igreja é chamada a assumir essa atitude para com as suas crianças, adolescentes e jovens, em cada uma das suas comunidades.

Por isso, a primeira palavra que desejo dirigir é a cada uma das nossas comunidades e aos que as orientam: párocos, diáconos, catequistas e outros responsáveis. Acolham com alegria e carinho os vossos jovens. Acolham-nos com as suas inquietações e rebeldias, as suas ansiedades, sonhos e também incoerências – estão a crescer! – pois é assim que fazem os verdadeiros pais e irmãos. Partilhem com eles a fé e o serviço que vos anima e não deixem de os desafiar a participar, a aprofundar os motivos da própria fé e a partilhá-la com os outros. Não lhes mostrem um olhar paternalista, mas de verdadeiros pais, mães, padres, irmãos e irmãs. Deem-lhes espaço na vida da comunidade, nas suas dinâmicas e serviços, nos grupos de direção e de responsabilidade, na liturgia, no serviço aos mais necessitados, na missão dirigida aos que estão fora. É assim que havemos de ser instrumentos do Espírito de Deus para revestir de juventude a nossa Igreja e preparar, com os jovens e para os jovens, a Igreja de amanhã.

Aos movimentos e organizações juvenis presentes na Diocese, apelo para que enriqueçam a nossa Igreja e a sua missão com a variedade e a força dos vossos carismas. Mas recomendo que não sejam seitas autocentradas em si mesmas. Sejam Igreja, família de irmãos e irmãs, abram-se aos outros e sejam força de vida e de evangelização, em comunhão com esta Igreja e com a equipa de Coordenação Diocesana da Juventude. Juntos faremos uma grande diferença e, sobretudo, partilharemos a nossa fé e daremos um testemunho válido e credível de unidade, na riqueza da diversidade que o Espírito de Deus cria na sua Igreja.

Mas é sobretudo aos jovens que me dirijo: Sejam pedras vivas na construção da Igreja e na edificação do mundo de amanhã!

Não se deixem levar por messianismos populistas, sectários, violentos e criadores de exclusões. Sejam gente comprometida e livre, pois foi para a liberdade confiante e criativa de filhos e filhas de Deus, irmãos e irmãs na Igreja, que Cristo vos chamou e libertou. Sejam livres – evangelicamente livres – para se abrirem aos outros e partilharem com eles os dons de Deus:  a fé, o saber, os projetos, a esperança, a vida.

Este biénio da nossa Igreja de Setúbal e o fruto do Sínodo que está para começar em Roma, vão depender fundamentalmente de vocês, da vossa adesão, da vossa colaboração, do vosso compromisso e trabalho em comum. Não fiquem só a ver, apreciar e criticar. Tomem, ativamente, parte neste processo de transformação. Não se deixem desanimar pelos saudosistas do passado que querem que o tempo volte para trás, pelos que criticam e nada fazem, pelos que não deixam espaço para que outros intervenham no futuro que é de todos, mas sobretudo vosso.

Esta Igreja e este mundo precisam de vocês: de vocês que têm dúvidas e que buscam, de vocês que sentem raiva de tantas coisas que se passam nas nossas comunidades e no mundo que está a mudar, de vocês que têm sede de autenticidade, mesmo quando sentem a incoerência própria e dos que os rodeiam; de vocês que anseiam por um mundo mais justo, mais fraterno, mais ecologicamente limpo, mais aberto à esperança da dignidade e da paz para todos… porque é assim que Deus quer precisar de vocês para mudar e melhorar este mundo, onde hão de viver vocês e os vossos filhos. Sois chamados – vocacionados – por Deus para colaborar com o seu Espírito na transformação da Igreja e do mundo.

Como ponto de referência, coordenação e dinamização deste caminho juvenil da nossa Igreja, foi criado o Departamento da Juventude da Diocese, presidido pela Coordenadora Diocesana Inês Sofia Domingues Costa Baptista, uma equipa de jovens e o Assistente Diocesano, Pe. João Luís Nabais Dias,coadjuvado pelo Pe. João Paulo Gomes Duarte.
Esta equipa articulará e coordenará o próprio trabalho com as outras dimensões da Pastoral da Juventude, nomeadamente a Pastoral das Vocações e a Pastoral Universitária, bem como com movimentos como o CNE, os Convívios Fraternos e outros.

Compromisso, Bênção e Envio da Equipa Diocesana - Foto Diocese de Setúbal

Compromisso, Bênção e Envio da Equipa Diocesana, igreja de Palhais Foto: Diocese de Setúbal

O Departamento tem estado a trabalhar há já algum tempo e elaborou um Itinerário de ação de Pastoral da Juventude e Vocações para os próximos dois anos, que está a ser apresentado aos diversos organismos diocesanos, onde se incluem, necessariamente, as paróquias e vigararias. Agradeço vivamente a disponibilidade de todos os elementos desta Equipa, e peço ao Senhor que os ilumine com o seu Espírito neste caminho que vão orientar e coordenar. Peço igualmente a todos os responsáveis pastorais, a melhor colaboração no delinear dos projetos e na sua concretização.

Dentro deste projeto, inclui-se também um programa de Visitas Pastorais do Bispo às Paróquias e Vigararias, que terão como especial ponto de referência a realidade juvenil em cada uma delas. A metodologia de preparação e de realização destas visitas está a ser preparada com as comunidades interessadas, dentro de um programa que se estenderá pelo biénio, e provavelmente para além dele. Espero que sejam ocasião de escuta do Espírito de Deus que nos vivifica e nos move para a missão, particularmente entre os jovens.

Neste ano, especialmente marcado pelo Sínodo e pelo chamamento à missão, queremos viver a atenção pastoral aos jovens, em comunhão com toda a Igreja e em espírito missionário: missão dirigida aos jovens, mas igualmente e sobretudo, missão dos jovens para outros jovens. O itinerário que está a ser apresentado tem sempre presente essa dinâmica de acolhimento dos jovens, da partilha comunitária, mas igualmente da partilha missionária.

Que o Senhor, Bom Pastor e Mestre, a todos nos ensine a colocarmo-nos na atitude de discípulos, que acolhem a sua voz que nos chama, cada um segundo a sua vocação, a responder com generosidade e alegria, para participarmos, como pedras vivas, na edificação da sua Igreja e na sua missão no mundo.

+ José Ornelas Carvalho SCJ
Bispo de Setúbal

 

[Nota pastoral do site da Diocese de Setúbal
30 setembro 2018]