Testemunho JMJ 2016 – Individualidades

13913936_1833069073593925_4259832944410873938_o

Aprendemos com a vida em Deus, que nunca caminhamos sozinhos. Ao iniciar esta aventura, alguns de nós pela 1ª vez, outros já tendo vivido a experiência das JMJ, partimos sempre na esperança do encontro pessoal com Jesus, esquecendo-nos muitas vezes que esse encontro tem necessariamente de passar pelo encontro com o outro. A vivência das jornadas em Cracóvia que era inicialmente para ser vivida de forma individual (porque foi assim que cada um se inscreveu e se dispôs a ir) assumiu uma forma diferente quando por aqueles acasos deliciosos que Deus prepara para nós, nos sentimos chamados a participar não como “individuais”, mas como um grupo que carinhosamente chamámos de individualidades. As motivações de cada um de nós eram bem diferentes, as expectativas, as dúvidas, bem como a fase de vida que cada um de nós atravessa, mas Cristo como sempre transforma toda a diferença em unidade. E deste modo, em unidade, partilhámos os momentos de oração, os momentos de reflexão , de partilha, de cansaço, de perseverança nas filas para comer, de banhos frios na rua, ou de dormir ao relento, mas também de convívio e de descoberta do outro. Os momentos vividos ao som das mensagens do Papa Francisco, ganham sempre outro sabor…afinal de contas é Jesus que nos fala diretamente ao coração! E como fala! Sabemos e sentimos naquele preciso momento, que não, não caminhamos sozinhos, caminhamos em Igreja. E não há como ficar indiferente ao apelo de Pedro, seja durante a via sacra, a vigília ou a missa de envio, ao ritmo da experiência de fé de cada um, pequenos milagres vão acontecendo , mesmo que não sejam percetíveis aos nossos olhos.

A experiência das JMJ será sempre como ir beber à fonte. Será sempre como um novo encontro. Será sempre viver e alegrarmo-nos como Igreja que somos e é certo que cada um de nós neste grupo fez essa experiência à sua própria maneira, mas também é certo que nenhum de nós voltou igual ao que foi! Agora é calçar os sapatos e continuar a caminhar!

A ti que ainda não tiveste a possibilidade de viver esta experiência, não adianta dizermos-te como vai ser especial e como será realmente único (mesmo quando já participámos em várias jornadas), não adianta porque não há palavras exatas para descrever o mundo de possibilidades ou de sensações, por isso terás que ser mesmo tu a deixares-te ir. E para isso basta colocares no teu coração essa disponibilidade, esse sim, que dás a tantas outras coisas se calhar com menos importância, o resto temos a certeza que Deus trata. Temos a certeza, porque já o fez connosco! Vemos-te no Panamá!